Mensagens de Um Ano de Falecimento

Encontradas 349 mensagens de conforto:

Um ano depois de perder você, mãe, vou tentar esquecer um pouco a dor da sua ausência, vou tentar ignorar por uns momentos a falta que me faz. Porque hoje você merece que eu pense somente em coisas boas, nas recordações felizes que deixou, e que lhe preste uma sentida e merecida homenagem.

Você foi um exemplo como mãe e esposa, mas também como ser humano. Sempre pronta a ajudar, com um sorriso rasgado para todo mundo, com palavras bondosas até para quem não as merecia, nunca conheci alguém com um coração tão genuíno e altruísta.

Foi um privilégio ter você na minha vida, ser carregado no seu ventre, receber sua valiosa educação e poder afirmar que tive a melhor mãe do mundo. Hoje há uma tristeza e uma nostalgia que me invade, mas não quero pensar nisso. Você sempre lutou para que eu sorrisse, e é isso que quero fazer, carregando o amor que nos uniu, para todo sempre.
Dizem que o primeiro ano é o mais difícil e realmente tem sido muito triste sem você aqui, primo. Estou com muita saudade e ainda não consigo aceitar que você partiu.

Partiu sem eu poder me despedir, sem um último abraço e acho que é por isso que dói tanto. Levo sempre nossas lembranças, as memórias da infância, as brincadeiras que eram pura diversão.

Meu carinho e amor por você nunca irá se apagar, não importa quanto tempo passe. Hoje, oro pela sua paz. Oro pela sua proteção e peço a Deus que me ajude a seguir em frente.

Sinto muito sua falta, querido primo!
Um ano passou desde que você partiu e não tem dia em que não sinta você ao meu lado, minha filha. Você está em todas as minhas palavras e em todos os meus atos.

À noite fecho os olhos e faço as minhas orações, pedindo força para Aquele que te levou daqui.

Não consigo pensar direito, nem ordenar a minha vida. Caminho pelo mundo levando comigo esta grande tristeza de não a ter mais comigo.

Houve tanto que não lhe disse e que lhe queria dizer, mas cometi o erro mais comum dos seres humanos que é o de pensar que temos sempre mais tempo.
Prima e grande amiga, irmã de coração, companheira de sempre, foi há um ano que você partiu, que abandonou este mundo para jamais regressar. Descanse em paz e até ao dia do nosso reencontro.

Todos os dias dos últimos doze meses foram difíceis, tristes demais de viver. É tão complicado não podermos estar com quem queremos, com quem sentimos saudade!

Você não deveria ter ido embora tão cedo, da forma que foi. Sua despedida deixou um vazio infinito no meu coração, uma falta que nunca poderá ser preenchida.

Gostaria de a ter aqui como antes.
Gostaria de a escutar outra vez.
Os dias que se seguiram ao seu falecimento, querida tia, foram os mais complicados da minha vida. Agora que passou um ano, relembro a dor que senti nessa altura e a tristeza que quase me derrubou.

Sei que teve de ser assim. Deus é que decide quando chega a nossa hora e temos que aceitar a sua decisão, mesmo que não consigamos compreender.

Descanse em paz, querida tia!
12 meses se passaram e a saudade aumentou um pouquinho a cada dia. Eu achei que perder minha irmã havia sido a pior parte, mas o pior é o que vem depois.

Viver sem ela é uma dor que não sei explicar. Não poder falar com ela ou lhe dar um abraço apertado é o mais difícil. Sinto tanto sua falta, irmãzinha. A saudade nunca para de crescer e eu lembro de você todos os dias.

Rezo sempre para tentar estar um pouco mais perto. Nunca esqueço tudo que vivemos juntos e levo nossas lembranças sempre comigo. Amo você, irmãzinha, e morro de saudades!
A maior prova de fogo que a vida me deu foi esta que tive de lidar no último ano. Foram doze meses inteiros sem você, tio! A última despedida pode ser muito dolorosa para quem fica.

Acho que não existiu um só dia que não chorasse. Em todos eu senti mágoa, tristeza profunda por não o ter ao meu lado. Gostaria que fosse mentira, que a vida não tivesse cedido ao desejo da morte.

Talvez amanhã ou depois eu consiga aceitar as coisas de uma forma mais serena, mas neste momento ainda é impossível para mim. Só espero que você esteja em um lugar de paz, tio.
Eu sei que nunca irei me habituar à ausência do meu irmão. Já passou ano do dia terrível em que ele se foi e sinto que uma parte de mim continua aguardando seu regresso.

É uma sensação incrível, é algo que machuca meu coração todos os dias. É esperar por algo que eu sei que conscientemente jamais irá acontecer. É estranho, doloroso, real.

O meu irmão sempre foi tudo para mim, um exemplo de ser humano, um homem íntegro. Se eu pudesse escolher ser alguém, eu gostaria de ter sido como ele.

Sempre o admirei profundamente. Mesmo nas horas em que a briga entre nós se instalava, eu ficava admirando sua forma de reagir. Tenho certeza que o amei desde sempre.

Só quero acreditar que ele está em um lugar de paz, sereno, a descansar. Vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para o manter vivo ao meu lado neste mundo que será sempre seu.
Eu consigo me lembrar de todos os dias deste ano que passou. Sei que em cada um deles, escorreu do meu rosto, pelo menos, uma lágrima. Prima, não tem sido fácil sobreviver sem você ao meu lado.

Estar distante de alguém tão importante como você é tremendamente desolador. O mais difícil de suportar é a saudade: ela parece que morde, que se entranha em mim e enche meu coração de infelicidade.

Tenho esperança que o tempo resolva toda esta minha tristeza. Acredito que os dias me tornem mais forte e capaz de lidar de outra forma com desaparecimento da minha prima. Prometo não baixar os braços! Prometo ser feliz por você, prima!
É impossível esquecer o dia em que roubaram de mim o bem mais precioso que tinha. Hoje é o aniversário de morte do meu querido filho e ainda me revolta como a morte o levou de forma tão inesperada.

Para mim é como se tudo tivesse acontecido ontem. É difícil encarar esta realidade quando estava em causa alguém tão jovem, com tantas coisas ainda para viver. Mas a vida nunca foi justa e eu tento me apegar todos os dias nas melhores recordações para que um pouco de paz possa invadir meu coração.
Mãe, vou falar como se estivesse me ouvindo, como se estivesse neste momento à minha frente olhando nos meus olhos e antecipando um abraço inevitável. Hoje se completa o primeiro ano do acontecimento mais triste da minha vida. E é terrível recordar os momentos de sofrimento que me assolaram quando recebi a notícia do seu falecimento.

Não tem como não pensar na dor, no que representa sua ausência, no vazio que é não poder ouvir sua voz. Mas perante esta onda de sentimentos angustiantes, tento remar contra a corrente e pensar nas coisas boas que vivemos juntos. E foram tantas, mãe, momentos muito especiais ao lado de uma mulher guerreira e bondosa.

Com você eu aprendi tudo que sei e ganhei inspiração para todos os dias tentar ser alguém melhor. Você era a luz da família, o amor em forma de pessoa, a razão da nossa união. Sinto um orgulho indescritível pela sorte que tive em poder chamar você de mãe.

O tempo vai avançando. Hoje faz um ano e tenho que continuar de cabeça erguida porque a vida exige que não viremos a cara à luta. Mas para onde quer que vá, em todas as circunstâncias, independentemente do meu estado de espírito, você estará sempre no meu coração.
Foi um ano que passou, querida mãe, desde sua partida. Apenas um conjunto de dias, porque parece que ainda foi ontem que ouvi sua doce e ternurenta voz pela última vez. Um ciclo infindável de meses, pois o vazio que você deixou foi muito profundo e tornou todos os instantes da minha vida em momentos dolorosamente prolongados.

Saudade é o que mais sinto, como se tivéssemos largado as mãos, de forma súbita, e agora eu procurasse, de alguma forma, agarrar você de novo. Saudade porque mãe é uma pessoa única, capaz de proporcionar o maior dos amores que o mundo já conheceu. E por isso, ficar sem você foi perder um pouco de minha própria vida. Foi deixar de ter a referência que eu sempre quis imitar.

Pudessem as lembranças abrandar um pouco esta vontade dilacerante de ter você de volta à vida e talvez eu fosse capaz de seguir verdadeiramente em frente. Mas, por agora, um ano é pouco para o conseguir. Pouco para quem desejava permanecer toda a vida do seu lado.
Vovó, um ano inteiro sem sentir o calor do seu abraço, sem escutar sua voz suave no meu ouvido. Foi exatamente há doze meses que você se foi, que seu corpo desapareceu do meu olhar.

Eu sinto sua falta todos os dias, todas as noites, em qualquer instante. Sinto saudade das conversas, da melodia das suas palavras sempre sábias. Avó, sempre que penso em você, desejo voltar no tempo.

Descanse em paz, avozinha.
Até um dia.
Faz hoje um ano que perdi aquele que tanto me ensinou, o meu querido irmão.

Ele me deu a conhecer o mundo e aprendi tanto com ele que devia era chamar ele de professor.

Mas no meio de tanto aprendizado, houve algo que ficou esquecido e que ele nunca me ensinou: como fazer para viver sem ele.

Esta foi a sua única falha. Talvez por ser um tema sensível, talvez por falta de tempo ou talvez porque eu o teria ignorado, este tema nunca foi abordado.

Por este motivo, eu passei esse último ano perdido e não sei se um dia voltarei a encontrar o meu rumo.

O que sei, é que ele me faz muita falta.
Minha avozinha, é muita a saudade que existe no meu coração. Um ano passou desde aquele dia terrível em que partiu da minha vida e agora vejo como faz falta uma pessoa como você: carinhosa, meiga, atenta, bondosa e generosa.

Sinto que talvez nunca tenha expressado tantas vezes quanto gostaria a importância que teve para mim. Sempre vi em você o exemplo de uma mulher guerreira, corajosa e persistente que me inspirou muitas vezes e que ainda tento imitar dia após dia.

Não há palavras que expressem com exatidão a tristeza que sinto quando penso que não posso mais ter seu abraço, ver seu sorriso doce, ouvir as histórias inspiradoras que apenas você sabia contar.

É um dever lembrar e assinalar a data da sua partida por tudo que devo a você, avó, mas eu o faço de forma espontânea e por verdadeiro amor. Um amor que nasceu entre nós para ser eterno.