A minha falecida avó amava viver

Gosto de pensar que foi por amar tanto viver que o coração da minha avó deixou de bater. É possivelmente a única pessoa que conheço que amava verdadeiramente a vida.

Aproveitava cada momento ao máximo e não perdia tempo com tristezas, pois, para ela, não valia a pena estarmos aqui se fosse para sofrer.

Era uma mulher com um sorriso doce que iluminava o mundo e que era capaz de fazer nascer um sorriso nos rostos mais sérios. Espero que, onde quer que esteja, ela se encontre feliz como sempre foi e em paz como sempre gostou de estar.